Galeria de fotos

Galeria de fotos
 
Professores Eduardo Oliveira e Fernando Botelho no Levantamento topográfico com alunos de Engenharia UNICAP da Capela Alto Nova Olinda, Olinda/PE, em Novembro/1993. Foto: Eduardo Barros.
 

Professores Fernando Botelho da UNICAP e Francisco Jaime Bezerra da UFPE, no levantamento da linha Férrea da CFN no Sertão do Estado da Paraíba, com GPS Geodésico Rascal em Fevereiro de 2006.

Marco Topográfico do Levantamento da linha Férrea da CFN no Sertão do Estado da Paraíba, com GPS Geodésico Rascal em Fevereiro de 2006.

Viaduto Serra das Russas BR232/PE, projeto da Empresa ASTEP Engenharia Ltda.Foto: Eduardo Barros.

Portal do Paraíso num Riacho sob a Ponte da BR-407/PI, próximo a cidade de Juazeiro do Piauí. Foto: Eduardo Barros.

Reta de Ibimirim/PE na BR-110/PE, imagem captada em 2010 a uns 20km ao norte Petrolândia/PE no Sentido Ibimirim/PE. Foto: Eduardo Barros.

 

Equipe de Topografia da UNICAP e o Padre Roberto no Levantamento da Capela São José Operário no Alto José do Pinho Recife/PE, em Junho de 2013.

Professor Fernando Botelho da UNICAP no levantamento da Capela São José Operário no Alto José do Pinho Recife/PE, em Junho de 2013.

Alunos de Engenharia da UNICAP realizando levantamento na cidade Garanhuns/PE com GPS Geodésico Zênit 2 L1/L2 no modo Stop and Go, em Trabalho de Conclusão de Curso em Setembro de 2013. Foto: Glauber Carvalho

Professor Glauber Carvalho e aluno de Engenharia da UNICAP realizando levantamento na cidade Gravatá/PE com Nível e Mira falante, em Trabalho de Conclusão de Curso em Setembro de 2013. Foto: Glauber Carvalho

Alunos de Engenharia da UNICAP realizando levantamento na cidade Gravatá/PE com Estação Total Pentax, em Trabalho de Conclusão de Curso em Setembro de 2013. Foto: Glauber Carvalho

Alunos de Engenharia da UNICAP realizando levantamento na cidade Garanhuns/PE com Estação Total Pentax e GPS Geodésico Zênit 2 L1/L2 no modo estático (detalhe a direita) , em Trabalho de Conclusão de Curso em Setembro de 2013. Foto: Glauber Carvalho

Aluno de Engenharia da UNICAP realizando levantamento na cidade Gravatá/PE com Estação Total Pentax e Bastão com Pisma, em Trabalho de Conclusão de Curso em Setembro de 2013. Foto: Glauber Carvalho

Curso de Atualização em Topografia para os funcionários do DER/PE na cidade Garanhuns/PE em Julho de 2006.

Curso de Atualização em Topografia para os funcionários do DER/PE na cidade Garanhuns/PE em Julho de 2006.

Prof. Fernando Botelho atuando no curso de Atualização em Topografia para os funcionários do DER/PE na cidade Garanhuns/PE em Julho de 2006.

Nivelamento do terreno com Nível Laser, construção do Shopping na cidade de Paulista/PE em Fevereiro de 2014. Foto: Diogo Maia.

Levantamentos Aerofotogramétrico e Hidroceanográfico de Fim de Curso (LHFC) em 2008, da carta náutica do “PORTO DE LAGUNA” no Estado de Santa Catarina na cidade de Laguna/SC, carta náutica n.º 1901, realizado pela Marinha do Brasil (DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO), com a participação do Prof. Glauber Carvalho (em pé de camisa branca).

Foto do VLT da cidade de Nice na França (francês: Tramway de Nice), que tem 8,7 quilômetros, tendo uma única linha de VLT's na cidade. Foi Inaugurado em 24 de novembro de 2007, e substituiu as linhas de ônibus 1, 2, 5 e 18. Desde o início, o número de passageiros aumentou de 70.000 por dia em 2008 para 90 mil por dia em 2011. Foto: Prof. Glauber Carvalho Costa, abril de 2010.

Levantamento realizado no Marco Zero da Cidade de Recife/PE (marco planialtimétrico RN-3640F) com Receptor GNSS Geodésico Zênit 2 L1/L2 da UNICAP, para os estudos de Trabalho de Conclusão de Curso do Aluno Charles Albuquerque (Direita), orientado pelo Prof. Glauber Carvalho (esquerda), em outubro de 2013.

Realização de vôo teste do Drone Quadricoptero DJI Phantom Vision 2, para o trabalho de conclusão de curso de Engenharia de Civil da Universidade Católica de Pernambuco do aluno Igor Carvalho (esquerda), sobre aerofotogrametria de pequeno formato, orientado pelo Prof. Glauber Carvalho (centro), juntamente com o Prof. Fernando Botelho (Direita) ambos da UNICAP, realizado no campus da Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE, em 22 de março de 2014. Foto: Eduardo Barros;

Realização de vôo teste do Drone Quadricoptero DJI Phantom Vision 2, para o trabalho de conclusão de curso de Engenharia de Civil da Universidade Católica de Pernambuco do aluno Igor Carvalho, realizado no campus da Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE, em 22 de março de 2014. Foto: Eduardo Barros;

Realização de vôo teste do Drone Quadricoptero DJI Phantom Vision 2, para o trabalho de conclusão de curso de Engenharia de Civil da Universidade Católica de Pernambuco do aluno Igor Carvalho (direita), e a esquerda na foto o funcionário do LABTOP da UNICAP Waldemar Brito, realizado no campus da Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE, em 29 de março de 2014. Foto: Glauber Carvalho

Realização de vôo teste do Drone Quadricoptero DJI Phantom Vision 2, para o trabalho de conclusão de curso de Engenharia de Civil da Universidade Católica de Pernambuco orientado pelo Prof. Glauber Carvalho (direita), e a esquerda na foto o funcionário do LABTOP da UNICAP Waldemar Brito, realizado no campus da Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE, em 29 de março de 2014. Foto: Igor Carvalho

Apresentação do Prof. Fernando Botelho do Site LABTOPOPE no XLII COBENGE (Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia) em setembro de 2014. Para baixar o artigo publicado no COBENGE clique aqui.

Medições para levantamento destinado ao trabalho de conclusão de curso de Engenharia de Civil da Universidade Católica de Pernambuco orientado pelo Prof. Glauber Carvalho, do Aluno Rafael Claudino da Silva (a esquerda na foto) em 2014. Foto: Prof. Glauber Carvalho.

Projeto do sistema de levantamento fotográfico georreferenciado para cadastro multifinalitário e avaliação das condições do pavimento, do trabalho de conclusão de curso de Engenharia de Civil da Universidade Católica de Pernambuco, orientado pelo Prof. Glauber Carvalho, do Aluno Rafael Claudino da Silva em 2014. Foto: Prof. Glauber Carvalho

Locomotiva do ramal de Bento Gonçalves inicialmente administrada pela Viação Férrea do Rio Grande do Sul, que passou a administrar a linha a partir de 1920. O ramal foi desativado para trens de passageiros regulares em 1976 e pouco tempo depois, por volta de 1978, um trem turístico foi inaugurado pela RFFSA. Seu percurso inicia em Carlos Barbosa, passa por Garibaldi e Bento Gonçalves com extensão total de 23 quilômetros. Em 1993 foi retomada a operação da linha no trecho Bento Gonçalves - Garibaldi - Carlos Barbosa pela empresa Giordani Turismo, com o objetivo de operar o passeio turístico de trem a vapor, mais conhecido como "Maria Fumaça". Ano 2010.

Vagão do ramal de Bento Gonçalves. Ano 2010. Foto: Prof. Glauber Carvalho

 

Placa do Cabo da Roca, que é o ponto mais ocidental de Portugal continental, assim como da Europa continental, sendo também o ponto da Europa Continental mais próximo aos Estados Unidos. As suas coordenadas geográficas são Latitude 38º46'51"Norte e Longitude 9º30'02"Oeste. Foto: Prof. Glauber Carvalho.

Placa localizado na ponta do Seixas, o ponto mais oriental do continente americano e consequentemente da parte continental do Brasil.Localiza-se a leste da cidade de João Pessoa, capital do estado da Paraíba, a quatorze quilômetros do centro da cidade e a três quilômetros ao sul do bairro de Cabo Branco. Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ponta_do_Seixasda. Foto: Prof. Glauber Carvalho.

Levantamento em Escada/PE. Ano 2013.

Sistema de Cremalheira usado em ferrovias para vencer terrenos íngremes, na foto a linha férrea do trem do Corcovado, localizada na cidade do Rio de Janeiro. A linha começa em Cosme Velho e segue até o cume do Corcovado, a uma altitude de 710m, e é no cume onde o Cristo Redentor está localizado.A linha foi inaugurada pelo imperador Dom Pedro II em 9 de Outubro de 1884.É, portanto, mais antigo que o monumento do Cristo Redentor, que foi aberto a visitação em 1931. De fato, as peças para a montagem da estátua do Cristo foram transportadas pelo próprio trem ao longo de quatro anos, Janeiro de 2015. Foto: Prof. Glauber Carvalho.

Os VLT's das cidades de Dresden na Alemanha, Praga na República Tcheca e Budapeste na Hungria, em Julho de 2015. Foto: Prof. Glauber Carvalho Costa.

Foto da Locomotiva Leopoldina (Maria Fumaça), que trafegada na Serra de Petrópolis/RJ, hoje exposta ao público no Museu Imperial de Petrópolis no Rio de Janeiro, em Julho de 2015.  Foto: Prof. Glauber Carvalho Costa.

Foto da Estação do Brum, sendo essa a estação inicial da estrada de ferro do Recife ao Limoeiro, construída no ano de 1881 pela G.W.B.R. - Great Western of Brazil Railway para transportar cargas portuárias e passageiras, 24 de Outubro de 2015. Foto: Prof. Glauber Carvalho Costa. 

Foto da Revisora de Via Permanente da CBTU/METROREC, usada na manutenção da superestrutura ferroviária do Metrô do Recife/PE, 24 de Outubro de 2015. Foto: Prof. Glauber Carvalho Costa.

Foto na Esquina da Av. Barbosa Lima com a Rua do Bom Jesus próximo ao Marco Zero da Cidade do Recife/PE, onde se pode vê os antigos trilhos do sistema de transporte por bondes, que teve seu início no século 19, primeiramente movidos por tração animal e posteriormente no ano de 1914 substituído pelos bondes elétricos, permanecendo como principal meio de transporte de massa por cerca de 40 anos na cidade, até meados da década de 50. Sendo substituídos pelos ônibus que imaginava-se na época, que traria consigo modernidade a cidade. Em vários trechos da cidade ainda há trilhos que contam um pouco dessa história, 27 de Novembro de 2015. Foto: Prof. Glauber Carvalho Costa, Ler mais.

Foto da Estação Ferroviária de Campina Grande, hoje conhecida popularmente como Estação Velha, foi inaugurada em 1907, tanto o ramal de Campina Grande e a estação de Itabaiana serviu como entroncamento para os trens que subiam ou desciam a Serra da Borborema, para pegar a Linha Norte. O ramal de Campina Grande teve seu primeiro trecho entregue em 2 de outubro de 1907, entre a estação de Itabaiana, na linha da Great Western do Brasil que ligava Recife a Natal, e a cidade paraibana de Campina Grande, Foto em 20 de Fevereiro de 2016. Foto: Prof. Glauber Carvalho Costa.  Ver Vídeo

 

Great Western do Brasil (1907-1950)

Rede Ferroviária do Nordeste (1950-1975)

RFFSA (1975-1997)

CFN (1997-2012)

Transnordestina Logística (2012 - Atual)

 

A fotos acima foram tiradas no dia 14 de maio de 2016. Foto: Prof. Glauber Carvalho Costa. 

 

Vista aérea da Ilha do Recife Antigo tirada do Zepellin em 1930, mostrando no canto inferior Direito a ponte rodoferroviária 12 de Setembro conhecida como a Antiga Ponte Giratória. Fonte: Fundação Joaquim Nabuco.

Ponte Giratória "aberta" - década de 1930 Ao fundo e à direta o antigo Cais de Santa Rita, antes do aterramento, quando aberta deixava duas passagens para o trânsito marítimo. Quando se dizia que a ponte estava “aberta”. Foi instalada uma sirene, que soava alto antes da ponte girar, e as suas cabeceiras eram barradas com correntes e avisos de alerta para evitar qualquer acidente. Fonte: Fundação Joaquim Nabuco.
 

Antiga Ponte Giratória nos dias de hoje . Fonte: http://bairrodorecife.blogspot.com.br/2014/01/a-ponte-giratoria.html

 

Trata-se de uma ponte rodoferroviária localizada da cidade do Recife/PE, próximo ao Porto do Recife a ao Marco Zero da Cidade, ela foi construída em Concreto Armado, e foi inaugurada em 1971, com o nome de Ponte 12 de Setembro, data que lembra o dia solene da inauguração das reformas do porto, em 1918, quando atracou no cais do armazém 9, o paquete São Paulo da Companhia Lloyd Brasileiro. A referida ponte foi construída em substituição a antiga ponte giratória de ferro de 1923

A ponte ferroviária acima liga a Av. Alfredo Lisboa/Cais da Alfândega à Av. Sul/Cais de Santa Rita. Mesmo tendo sido inaugurada como Ponte 12 de Setembro, boa parte dos recifenses referia-se a ela como Ponte Giratória. Provavelmente este foi um dos motivos que levou a Prefeitura da Cidade do Recife a decretar, através da Lei Nº 16.916, de 19 de novembro de 2003, que sua denominação passaria a ser Antiga Ponte Giratória em vez de Ponte 12 de Setembro, A fotos acima foram tiradas no dia 14 de maio de 2016. Foto: Prof. Glauber Carvalho Costa.

Marco Geodésico da Grécia. Foto: Prof. Glauber Carvalho Costa.

Marco Geodésico da Grécia. Foto: Prof. Glauber Carvalho Costa.

Marco Geodésico da Grécia.Foto: Prof. Glauber Carvalho Costa.

Metrô de Atenas na Grécia. Foto: Prof. Glauber Carvalho Costa.

Metrô de Atenas na Grécia. Foto: Prof. Glauber Carvalho Costa.

Metrô de Atenas na Grécia. Foto: Prof. Glauber Carvalho Costa.

O metropolitano de Atenas (em grego: Μετρό Αθήνας) é o sistema de metrô que opera na cidade de Atenas, capital da Grécia. A característica que torna esta rede tão importante é a descoberta de inúmeras ruínas e artefactos da Antiguidade durante a escavação dos túneis. Esses achados foram dispostos pelas várias estações tornando-as em autênticos museus.

A 27 de Fevereiro de 1869, foi inaugurada a Linha 1 como linha de comboio (trem), desde a capital helénica até ao Pireu. Em 1904 a linha foi electrificada, tendo apenas sido em 2000 que se oficializou o estatuto de linha de metro; actualmente estende-se até Kifissia e tem 24 estações. A construção das Linha 2 e Linha 3 começou em Novembro de 1991 com o intuito de diminuir o tráfego na cidade e atenuar os níveis de smog. Foram inauguradas em Janeiro de 2000. No verão de 2004, a linha 3 foi expandida até ao Aeroporto Internacional Eleftherios Venizelos. Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Metropolitano_de_Atenas

Placa Entrada do Museu do Trem do Recife. Foto: Prof. Glauber Carvalho Costa.

Visita Alunos da Disciplina de Ferrovias 2016.2 da UNICAP ao Museu do Trem do Recife/PE realizada dia 20/08/2016

O Museu do Trem do Recife, fica localizado na antiga Estação Central do Recife, a estação é um Projeto do engenheiro Herculano Ramos, a Estação Central foi inaugurada em 1890 para servir à Estrada de Ferro Central de Pernambuco. No começo do século XX, foi arrendada à companhia Great Western of Brazil Railway, transformando-se na sede de um sistema ferroviário que atendia a quatro estados do Nordeste. A Estação Central também abrigou o Museu do Trem.

Visita dos alunos da Unicap ao Museu do Trem do Recife. Foto: Prof. Glauber Carvalho Costa.

Visita dos alunos da Unicap ao Museu do Trem do Recife. Foto: Prof. Glauber Carvalho Costa.

Engenheiro Civil de Ferrovias e Rodovias Alcides Machado (Esq.) e o Prof. Glauber Carvalho Costa (Dir.)

Visita dos alunos da Unicap ao Museu do Trem do Recife. Foto: Prof. Glauber Carvalho Costa.

Prof. Glauber Carvalho (Esq.) / Engenheiro Civil de Ferrovias e Rodovias Alcides Machado (Centro) / Prof. Eduardo Oliveira (dir)

Engenheiro Civil Alcides Machado, Guia do Museu Camila, Professor da UNICAP Glauber Carvalho e o Historiador André Cardoso ( Presidente da ONG Amigos do Trem regional Pernambuco e Guia do Museu)

As fotos acima da Estação Central de Maceió/AL foram tiradas no dia 02 de janeiro de 2017. Foto: Prof. Glauber Carvalho Costa.

ACIMA: Estação ferroviária de Maceió, em 1906, mostrando as plataformas, perpendiculares ao prédio (Cartão postal)

A estação de Maceió foi inaugurada em 1884. Isto oficialmente, porque, em 1871, já estava pronta a linha entre a estação de Jaraguá, no porto de Maceió, e a estação da cidade, eno ano seguinte, já ela seguia até a povoação de Bebedouro, tocada pela E. F. Central de Alagoas já com trens de passageiros e cargueiros e também dela se utilizando para bondes a tração animal. Em Bebedouro a linha ficou parada por anos, tendo sido prolongada somente depois de 1880, quando os ingleses da The Alagoas Ry. Co. Ltd. obtiveram a concessão da ferrovia. Hoje é a estação inicial do trem metropolitano da CBTU em Alagoas. "Quanto ao cenário ferroviário em Maceió, a única atividade certa é a da CBTU, que usa duas ou três RS-8 tracionando, carros Santa Matilde de 2ª classe comuns, cada um pintado de uma cor diferente do outro. A linha Maceió-Recife continua literalmente fora do ar e não é papo da CFN" (Nicholas Burmann, 2003). Fonte: GIESBRECHT, Ralph. Maceió -- Estações Ferroviárias do Estado de Alagoas». Consultado em 03 de Janeiro de 2017.